17 de novembro de 2014

Vermelho Como O Sangue – Trilogia Branca de Neve Livro 1, de Salla Simukka [Resenha #196]

Vermelho Como o Sangue


Sinopse: No congelante inverno do Ártico, Lumikki Andersson encontra uma incrível quantidade de notas manchadas de vermelho, ainda úmidas, penduradas para secar no laboratório de fotografia da escola. Cédulas respingadas de sangue.

Aos 17 anos, Lumikki vive sozinha, longe de seus pais e do passado que deixou para trás. Em uma conceituada escola de arte, ela se concentra nos estudos, alheia aos flashes, à fofoca e às festinhas dominadas pelos garotos e garotas perfeitos.

Depois que se envolve sem querer no caso das cédulas sujas de sangue, Lumikki é arrastada por um turbilhão de eventos. Eventos que se mostram cada vez mais ameaçadores quando as provas apontam para policiais corruptos e para um traficante perigoso, conhecido pela brutalidade com que conduz os seus negócios.

Lumikki perde o controle sobre o mundo em que vive e descobre que esteve cega diante das forças que a puxavam para o fundo. Ela descobre também que o tempo está se esgotando. Quando o sangue mancha a neve, talvez seja tarde demais para salvar seus amigos. Ou a si mesma.


Taí uma bela surpresa! Em quase todas minhas experiências de leitura que envolviam ambiente escolar e adolescentes, elas mostravam jovens mais preocupados com aparência, status e perder a virgindade que qualquer outra coisa. Claro que existem exceções, mas em nenhuma delas encontrei algo tão bem escrito e tão fascinante quanto o que vi em “Vermelho Como O Sangue”.

12 de novembro de 2014

9º BookCrossing Blogueiro

20141111_171216

E chegamos a mais uma edição do BookCrossing Blogueiro. Fico imaginando quantos livros já foram libertos com a iniciativa, e quantos leitores mais conquistaram.

Sou um feliz participante desde a primeira edição dessa iniciativa capitaneada pela Luma, do Luz de Luma, yes party! que nos convida a tirarmos um livro da estante e darmos a ele a oportunidade de “ser um livro”. Para participar, basta escolher os livros que quer libertar, e então “esquecê-lo” em algum lugar onde ele será encontrado por alguém. Essa é a ideia principal da iniciativa: fazer os livros circularem, alcançando um número maior de leitores.

10 de novembro de 2014

Golgo 13 Vol. 01, de Takao Saito [Resenha #195]

Golgo 13


Sinopse: Em seus 40 anos de existência, Golgo 13 já ultrapassou a marca de 200 milhões de cópias vendidas. Nos anos 1970, no Japão, estrelou dois filmes nos cinemas - um deles, de 1977, estrelado por Sonny Chiba (cultuado astro japonês reverenciado pelo diretor Quentin Tarantino e presente em Kill Bill. Vol.1). O superassassino também ganhou dois longas em anime (um deles, inclusive, lançado no Brasil nos anos 1990 com o título Golgo 13 - O Profissional) e mais uma série animada produzida entre 2008 e 2009. As aventuras do matador de aluguel ainda geraram cerca de cinco jogos de videogame - o último foi lançado exclusivamente para o Nintendo DS, em março de 2009. Para a versão brasileira de G13, foram selecionadas algumas das melhores aventuras vividas pelo lendário assassino. Além disso, será o primeiro título da editora a receber o selo JBC Graphic Novel - grandes histórias em edições de luxo, papel nobre e formatos diferenciados. O mangá, escrito e ilustrado por Takao Saito, é inspirado no universo do Agente 007.


Mangás, salvando mais uma vez este blog de uma semana sem resenhas!

Até que tenho lido bem nesse mês, cerca de livro e meio por semana, mas estou com sérios problemas para sentar e escrever resenhas. Isso sem contar as já pendentes há um bom tempo como as dos livros que li para o #Cacilda-A-Thon. Acho que dificilmente conseguirei tirar esse atraso até o fim do ano, mas, pelo lado bom, isso vai me ajudar a, em 2015, voltar com duas resenhas semanais, que foi o que mais me pediram no Censo que fiz este ano aqui no blog – isso e vídeos, mas, olha, isso não vai rolar não!

6 de novembro de 2014

Autores na Geladeira [Listas Rápidas #5]

Listas Rápidas

Mais um Listas Rápidas, acho que a maioria de vocês já sabem como funciona: definimos um tema e listamos as primeiras coisas que vierem a cabeça, sem que tenhamos que ficar obcecados com ordem, mérito ou justiça. Simples assim.

Essa semana o tema é “Autores na Geladeira”. Interpretem da maneira que acharem melhor, rs.

4 de novembro de 2014

O Sortilégio – Trilogia da Magia Livro 1, de Cliff McNish [Resenha #194]

O Sortilégio


Sinopse: Rachel e seu irmão mais novo, Eric. Toda noite eles tinham estranhos pesadelos povoados por feiticeiros monstruosos e crianças perdidas na neve. Até que um dia os terríveis sonhos viraram realidade: ambos acordam no mundo gelado e sombrio de Ithrea, o universo da mais maléfica de todas as criaturas, a bruxa Dragwena. O seqüestro das crianças se dá porque Dragwena está à procura de uma menina especial – a criança-esperança, cujos poderes poderão ajudá-la a conquistar a Terra. E ela tem uma grande intuição de que essa menina possa ser Rachel. Exultante com a nova aquisição em Ithrea, a bruxa celebra a companhia da nova aliada, mas ela não imaginava que para dominar a menina ela teria que colocar em prática seus maiores feitiços.

Rachel, que pouco a pouco descobre seus próprios poderes, resiste com firmeza à dominação de Dragwena. Ela acabará encontrando auxílio entre os escravos da bruxa, que durante anos falaram sobre a lenda da menina que vai derrotar a feiticeira e libertar a todos. Resta saber se Rachel é mesmo essa criança especial...

As narrativas de McNish ostentam como pano de fundo uma luta de valores entre o bem e o mal, conduzida por heróis de aceitação inquestionável. Para quem gosta de tramas que misturam magia, transformações e intermináveis combates fantásticos entre bruxas e feiticeiros, O sortilégio – primeiro volume da Trilogia da Magia –, criado por Cliff McNish, é impecável.


Tenho os três livros da “Trilogia da Magia”, escritos pelo Cliff McNish, em casa há um bom tempo, e sempre senti certa curiosidade em lê-los, então foi com alguma expectativa que comecei a leitura do primeiro livro, “O Sortilégio”, tinha até mesmo a convicção de que leria os três esta semana – são bem curtos – finalizando de uma vez a trilogia.

Mas não será bem assim.

30 de outubro de 2014

Os Dez Melhores Diretores de Cinema [Listas Rápidas #4]

France Lumiere Festival Tarantino

Quinta-feira é dia de “Listas Rápidas”! Minha intenção sincera é postar toda semana até que a fonte seque e não saiba mais o que listar, mas pra isso conto, claro, com a colaboração de vocês. A lista de hoje, por exemplo, foi ideia da Lu Tazinazzo, do aceita um Leite?, e devemos listar os dez – ou quantos forem – melhores diretores de cinema.

28 de outubro de 2014

Ratos e Homens, de John Steinbeck [ #SawyerRC ] [Resenha #193]

Ratos e Homens - Texto


Sinopse: George e Lennie são dois amigos bem diferentes entre si. George é baixo e franzino, porém astuto, e Lennie é grandalhão, uma verdadeira fortaleza humana, mas com a inteligência de uma criança. Só o que os une é a amizade e a posição de marginalizados pelo sistema, o fato de serem homens sem nada na vida, sequer família, que trabalham fazendo bicos em fazendas da Califórnia durante a recessão econômica americana da década de 30. Ganham pouco mais do que comida e moradia. No caminho, encontram outros sujeitos pobres e explorados, mas também situações que colocam em risco a sua miserável e humilde existência. Em Ratos e homens, Steinbeck levou à maestria sua capacidade de compor personagens tão cativantes quanto realistas e de, ao contar uma história específica, falar de sentimentos comuns a todos seres humanos, como a solidão e a ânsia por uma vida digna.


Já fazem uns bons anos desde que tive minha primeira experiência com Steinbeck. Estava no colegial e o senso apurado da bibliotecária da escola, na época, me guiava com precisão na descoberta de novos autores. Mais ou menos na mesma época ela me apresentou Hemingway, Allende e Bronte – a Charlotte.

23 de outubro de 2014

Os Dez Melhores Personagens Coadjuvantes [Listas Rápidas #3]

Listas Rápidas

Depois de uma semana de jejum, voltamos com o Listas Rápidas!

O tema de hoje, “Os Melhores Personagens Coadjuvantes”, foi proposto pela Lu Tazinazzo, do aceita um Leite?, e rende uma boa lista. Conforme vinham os nomes à minha cabeça, fui percebendo o quão diferentes eram um do outro, temos personagens de livros, quadrinhos, série e games. Bacana isso!

Meus dez melhores personagens coadjuvantes são: