30 de julho de 2015

27 de julho de 2015

Inocência? – O Protetorado da Sombrinha: O Terceiro Livro, de Gail Carriger [Resenha #230]

Inocência


Sinopse: Alexia Tarabotti enfrenta uma série de atribulações sociais, quiproquós e saias justas (embora compridíssimas) em plena sociedade vitoriana. Ao abandonar a residência do marido e se mudar de volta para o lar de sua terrível família, Lady Maccon se tornou o escândalo da temporada em Londres. Além disso, a Rainha Vitória dispensa Alexia do Conselho Paralelo, e a única pessoa capaz de ajudar a esclarecer os fatos, Lorde Akeldama, inesperadamente deixa a cidade. Como se não bastasse, Alexia é atacada por joaninhas mecânicas assassinas, indicando – como apenas joaninhas são capazes de fazê-lo – o fato de que todos os vampiros londrinos estão muito interessados em vê-la rigorosamente morta. Enquanto Lorde Maccon concentra seus esforços em ficar cada vez mais ébrio e o Professor Lyall se desdobra para que a Alcateia de Woolsey se mantenha coesa, Alexia deixa a Inglaterra em direção à Itália em busca dos misteriosos Templários. Somente eles têm o conhecimento sobre os seres preternaturais que Alexia precisa para entender sua crescente e inconveniente condição, mas eles podem ser piores que os vampiros – e estão armados com molho pesto. A série de STEAMPUNK mais cultuada do mundo! Best-seller do New York Times e finalista do Goodreads Choice Award na categoria Paranormal Fantasy.


Poucas séries me deixaram tão ansiosos por um lançamento quanto “O Protetetorado da Sombrinha”, da autora Gail Carriger. E tive que esperar muito até ter este terceiro volume em mãos. Se a leitura valeu a pena? Bom, Alexia Maccon continua tão divertida e carismática quanto antes.

AVISO: ESTA RESENHA PODE TER REVELAÇÕES INCOMÔDAS SOBRE O ENREDO PARA QUEM NÃO LEU OS DOIS PRIMEIROS VOLUMES DA SÉRIE.
NÃO LEIA SE VOCÊ PRETENDE, EM ALGUM MOMENTO, LER OS LIVROS!

23 de julho de 2015

Dedicatórias #32: Estava Escrito

Estava Escrito

“Meu editor dinamarquês e amigo, Erik Vagn Jensen, morreu antes que este livro estivesse terminado. Dedico-o, respeitosamente, à sua memória.”

Gunnar Staalesen, em “Estava Escrito”.

20 de julho de 2015

Hitman: Matador por Acaso – Primeira Temporada: Vol. 01, 02 & 03, de Hiroshi Mutou [Resenha #229]

Hitman


Sinopse: Tokichi Inaba, 34 anos. É um competente vendedor externo de uma empresa alimentícia que, por acidente, se encontrou com o Magnum duplo original que estava gravemente ferido depois de levar um tiro. Mesmo a contragosto, Tokichi teve que assumir o lugar do assassino verdadeiro e se tornar um hitman (matador profissional). Agora o pobre vendedor vai ter de se desdobrar para poder levar a vida de marido e vendedor com a de assassino.


Já falei um pouco sobre o primeiro volume de “Hitman: Matador por Acaso”, nesta coluna do blog que não foi adiante. Publicado no Japão originalmente na revista Semanário Mangá Goraku desde 2005, o mangá já conta com vinte e quatro volumes encadernados publicados por lá, e eu torço fortemente para que cheguem por aqui. Publicado pela Nova Sampa, o mangá já teve seis volumes publicados no Brasil, dividido em duas temporadas de três volumes, é da primeira que vou falar agora.

17 de julho de 2015

Bolão do Emmy 2015

Emmy

Saiu ontem a lista dos indicados para o Emmy 2015, então mais uma vez, e ainda inspirados no bolão do Oscar criado pelo João, do blog Fósforo, teremos um bolão!

Para saber como participar, clique em “Mais Informações”.

15 de julho de 2015

Lançamentos Novo Conceito – Correio #34

Correio

Dos títulos disponibilizados pela Editora Novo Conceito neste mês resolvi solicitar apenas três, já que as coisas andam um pouco corridas – e elas prometem boas leituras.

13 de julho de 2015

Estava Escrito, de Gunnar Staalesen [Resenha #228] [Desafio de E-Books 2015]

Estava Escrito


Sinopse

: As aventuras do detetive Varg Veum o levam a um mundo obscuro, em que adolescentes privilegiados são atraídos para as drogas e a prostituição. E a situação fica ainda pior quando o juiz local é encontrado morto em um hotel de luxo, usando lingerie, e pais desesperados imploram para que Veum encontre uma garota desaparecida.

No rastro das pistas que encontra, Veum percebe que precisa seguir com suas investigações no impiedoso submundo de Bergen, na Noruega. O que era, a princípio, uma investigação de rotina, torna-se um jogo extremamente perigoso e eletrizante, que o detetive precisará resolver em uma corrida contra o tempo…


Fazia já algum tempo que não lia um romance policial e senti uma necessidade muito forte de fazê-lo quando terminei o “O Dia Depois de Amanhã”, quase como se precisasse disso para não cair em uma ressaca literária – que sempre acontece comigo quando termino livros dos quais gosto muito e fico pensando neles ainda um bom tempo depois de terminada a leitura. Somado ao fato de que tinha muita curiosidade em ler algo do catálogo da Vestígio – que publica essencialmente policiais – decidi ler o “Estava Escrito”, que ainda tem o bônus de ser um policial nórdico, que já andou mais na moda, é verdade, mas sempre é tempo para se conhecer novos autores.

10 de julho de 2015

Relembrando: Junho

Relembrando

 

Junho foi um mês estranho. Foi o mês em que voltei de férias e me deparei com mudanças drásticas em dois ou três aspectos que cedo ou tarde vão dar o que falar. Mas também foi o mês em que fiz o trabalho de campo onde visito os produtores rurais uma vez por ano. É uma tarefa que me agrada e que me faz sentir – ao mesmo tempo em que reconheço as dificuldades pelas quais passam – certa inveja daqueles campos verdes, do cheiro de mato fresco e de um vento que sibila por entre as árvores. Eu gostaria de morar em um sítio!